Equinor pára de perfurar o Ártico bem depois do incidente

De Nerijus Adomaitis21 janeiro 2019
A plataforma de perfuração West Hercules no Mar de Barents. (Foto: Ole Jørgen Bratland)
A plataforma de perfuração West Hercules no Mar de Barents. (Foto: Ole Jørgen Bratland)

A Equinor da Noruega suspendeu a perfuração de um importante poço de exploração no Mar de Barents depois de um incidente ocorrido na semana passada, informou a empresa nesta segunda-feira.

O incidente ocorreu quando a sonda West Hercules, da Seadrill, estava perfurando o poço Gjoekaasen, na costa da Noruega.

O chamado poço de "alto risco e alto impacto" poderia ter entre 26 milhões e 1,4 bilhão de barris de equivalentes de petróleo, disse uma das parceiras da Equinor, a Aker BP, na semana passada.

Outros parceiros incluem a Lundin Petroleum, da Suécia, e a petrolífera estatal norueguesa Petoro.

Durante o incidente, a embalagem do riser inferior (LMRP) no preventor de blowout foi desconectada involuntariamente por razões ainda desconhecidas.

Nenhum ferimento pessoal ou dano ao meio ambiente ocorreu durante o incidente, no qual um dispositivo usado para proteger um poço submarino e evitar erupções foi desconectado, disse a Autoridade de Segurança de Petróleo da Noruega (PSA) em um comunicado.

"As operações estão paradas até que saibamos a causa da desconexão. O proprietário da sonda Seadrill iniciou uma investigação sobre o incidente, no qual a Equinor participa", disse um porta-voz da companhia de petróleo em comunicado à Reuters.

A Seadrill não estava imediatamente disponível para comentar.

O PSA disse que investigaria o incidente.


(Reportagem de Nerijus Adomaitis, edição de Gwladys Fouche e Louise Heavens)

Categorias: Energia Offshore