Lançamento do novo livro: Por que apenas dois FPSOs no Golfo do México dos EUA?

9 outubro 2018

O começo atrasado e a saga de vinte anos.

Mais de 40 anos se passaram desde que a pioneira Shell Castellon começou a operar como a primeira unidade flutuante de armazenamento e descarregamento de produção (FPSO) em 1977. Desde então, centenas dessas embarcações operaram em todo o mundo, e a indústria do petróleo colheu seus benefícios. Apesar da contínua popularidade e dominância internacional, vantagens atrativas e avanços tecnológicos, a adoção de FPSOs enfrentou desafios específicos no Golfo do México dos EUA, onde até agora só existiam dois FPSOs. Nesta nova versão, Peter Lovie, especialista no assunto, explica o porquê.


  • Sobre o autor:

Peter Lovie traça a turbulenta história dos FPSOs no Golfo do México, examinando com discernimento os eventos tumultuados que se desenvolveram ao longo dos anos: empreendimentos ambiciosos, levantes regulatórios, os furacões de 2005 que devastaram a indústria do petróleo e muito mais. Com o seu ponto de vista como um insider da indústria, Lovie tece um fundo fascinante para o estado atual da indústria do petróleo. Ele levanta a cortina para explorar os principais participantes do esforço multifacetado e contencioso dos FPSOs, incluindo os indivíduos inovadores e as empresas poderosas que disputam a precedência.

O novo livro pode ser comprado via www.FPSOsinGoM.com ou via Amazon e outros fornecedores online.

Categorias: Energia, Energia Offshore, História, História, No mar