Majores do Petróleo vencem dispensa do processo climático de Nova York

De Brendan Pierson21 julho 2018
© think4photop / Adobe Stock
© think4photop / Adobe Stock

Na quinta-feira, um juiz norte-americano negou provimento ao processo movido pela cidade de Nova York, na tentativa de responsabilizar grandes empresas petrolíferas pela mudança climática causada pelas emissões de carbono da queima de combustíveis fósseis.

Ao negar as acusações da cidade contra a Chevron, a BP Plc, a ConocoPhillips, a Exxon Mobil Corp e a Royal Dutch Shell Plc, o juiz distrital John Keenan, em Manhattan, disse que a mudança climática deve ser resolvida através de regulamentação federal e política externa.

"A mudança climática é um fato da vida, como não é contestado pelos réus", escreveu ele. "Mas os sérios problemas causados ​​por isso não são para o judiciário melhorar. O aquecimento global e suas soluções devem ser abordados pelos dois outros ramos do governo."

Seth Stein, porta-voz do prefeito da cidade de Nova York, Bill de Blasio, disse que a cidade planejava recorrer da decisão.

"O prefeito acredita que grandes poluidores devem ser responsabilizados por suas contribuições à mudança climática e pelos danos que causará à cidade de Nova York", disse Stein.

A cidade processou as empresas petrolíferas em janeiro e anunciou que pretendia alienar os investimentos em combustíveis fósseis de seus US $ 189 bilhões em fundos de pensão públicos nos próximos cinco anos.

A cidade disse que as empresas sabiam há anos que as emissões de carbono causavam o aquecimento global, mas promoveram os combustíveis fósseis enquanto pressionavam os esforços de relações públicas para desacreditar a ciência sobre os riscos da mudança climática. A cidade disse que deve gastar bilhões de dólares para proteger contra inundações e outros perigos do aquecimento global, e pediu indenização por dinheiro.

As companhias petrolíferas moveram-se para demitir o caso em numerosos fundamentos, incluindo que a Lei Federal do Ar Limpo autoriza apenas a Agência de Proteção Ambiental a mover ações judiciais por causa da poluição.

Keenan concordou com esse argumento na quinta-feira. Ele também disse que, como a mudança climática é um problema global, as reivindicações da cidade "implicam inúmeros governos estrangeiros e suas leis e políticas", e não podem ser decididas por um tribunal.

"O juiz Keenan entendeu perfeitamente", disse em um comunicado Theodore Boutrous, advogado da Chevron, acrescentando que tentar lidar com a mudança climática através de litígios "invadiria os poderes do Congresso e do poder executivo para tratar dessas questões como parte de o processo democrático ".

Shell e Exxon disseram que estavam satisfeitos com a decisão do tribunal.

"A decisão do juiz Keenan reafirma nossa visão de que a mudança climática é um desafio social complexo que requer uma política governamental sólida e não é um problema para os tribunais", disse a Shell em um comunicado.

A ConocoPhillips e a BP não puderam ser alcançadas imediatamente para comentários.

(Reportagem de Brendan Pierson; Edição de Lisa Shumaker)

Categorias: Atualização do governo, Atualização do governo, De Meio Ambiente, Energia, Legal