Plataformas Offshore Controladas de Terra

Por Nerijus Adomaitis15 novembro 2018
A plataforma Ivar Aasen (Foto: Aker BP)
A plataforma Ivar Aasen (Foto: Aker BP)

A Aker BP informou que se tornará a primeira companhia de petróleo na Noruega a controlar as operações de uma plataforma offshore permanentemente tripulada a partir de terra a partir do próximo ano.

Plataformas operacionais remotamente podem ser feitas com menos pessoal do que fazê-lo offshore e outras empresas de petróleo também estão procurando fazê-lo para reduzir os custos de produção.

A Aker BP disse que a agência de fiscalização de segurança do setor de petróleo da Noruega aprovou na quarta-feira os planos da empresa de trocar os controles em seu campo petrolífero de Ivar Aasen, no Mar do Norte.

"Será a primeira plataforma tripulada na Noruega a ser controlada a partir de terra", disse o porta-voz da Aker BP, Ole-Johan Faret, em email à Reuters.

A maior empresa de petróleo e gás da Noruega, a Equinor, iniciou operações remotas no campo de Valemon no ano passado, mas essa plataforma só tem trabalhadores a bordo periodicamente.

Cerca de 70 pessoas trabalham na plataforma Ivar Aasen, da Aker BP, a 175 km da costa oeste da Noruega, incluindo quatro operadores de sala de controle.

A Aker BP informou que espera concluir a troca de controles no segundo trimestre de 2019 e, mesmo depois disso, manteria algumas pessoas treinadas na plataforma que poderiam retomar os controles, se necessário.

"É uma curva de aprendizado para nós, então vamos fazer isso gradualmente para garantir a segurança", disse Faret.

"Mover a sala de controle em terra é uma parte fundamental da agenda de digitalização e melhoria da Aker BP", disse Faret.

Mais genericamente, a Aker BP está avançando na digitalização de seus ativos e operações. Dois anos atrás, seu principal acionista, a Aker, montou a empresa de software Cognite para fazê-lo, porque não conseguiu encontrar uma adequada.

A Cognite está agora criando mapas digitais dos ativos da indústria de petróleo da Aker BP, integrando dados de equipamentos como bombas, sensores de calor e pressão, registros de manutenção e até mesmo rotas de pessoal para melhorar a eficiência e a segurança.

A sueca Lundin Petroleum, parceira da Aker BP em Ivar Aasen, se inscreveu para usar a plataforma criada pela Cognite para compartilhar dados operacionais de suas instalações offshore na Noruega.

No mês passado, a Equinor também iniciou a produção em sua plataforma Oseberg H, a primeira plataforma de cabeçote totalmente não tripulada operada remotamente na plataforma continental norueguesa.

Uma porta-voz da agência de segurança petrolífera da Noruega disse que a plataforma de petróleo Martin Linge, da Equinor, que deve começar em 2020, será outra plataforma remotamente controlada na costa da Noruega.

Os executivos da Equinor disseram anteriormente que esperam que futuras instalações sejam mais leves, não-tripuladas, robotizadas e operadas remotamente para manter baixos os custos de desenvolvimento.


(Edição de Susan Fenton)

Categorias: Energia Offshore, Pessoas & Empresa Notícias, Tecnologia