Rovuma LNG recebe luz verde do governo

14 maio 2019
© gt29 / Adobe Stock
© gt29 / Adobe Stock

O governo de Moçambique aprovou planos de desenvolvimento para o projecto Rovuma LNG liderado pela ExxonMobil, que irá produzir, liquefazer e comercializar gás natural a partir de três reservatórios localizados no bloco da Área 4 ao largo de Moçambique, dois dos quais abrangem a fronteira com a Área 1.

"A aprovação do plano de desenvolvimento marca mais um passo significativo em direção a uma decisão final de investimento (FID) no final deste ano", disse Liam Mallon, presidente da ExxonMobil Upstream Oil & Gas Company.

“Este é o terceiro plano de desenvolvimento aprovado neste período de cinco anos para permitir o desenvolvimento sustentável das enormes reservas de gás natural descobertas na bacia do Rovuma e representa o compromisso do governo em assegurar a implementação de projetos que impulsionarão o desenvolvimento de Moçambique” disse Ernesto Elias Max Tonela, ministro de recursos minerais e energia.

O esforço de marketing para o GNL produzido a partir do projeto Rovuma LNG é liderado conjuntamente pela ExxonMobil e pela Eni. Os contratos de compra e venda de 100% da capacidade de GNL dos comboios 1 e 2 foram submetidos ao governo de Moçambique para aprovação, que juntos produzirão mais de 15 milhões de toneladas de GNL por ano.

Durante a fase de produção, o projeto de GNL do Rovuma espera fornecer até 17.000 toneladas de gás de petróleo liquefeito (GLP) por ano em Moçambique a partir dos recursos da Área 4, que atualmente é cerca de 50% das importações de GLP do país.

A área 4 é operada pela Rovuma Venture SpA (MRV), uma joint venture constituída pela ExxonMobil, Eni e CNPC, que detém 70% do contrato de concessão de exploração e produção da Área 4. A Galp, a KOGAS e a Empresa Nacional de Hidrocarbonetos EP detêm, cada uma, uma participação de 10%.

A ExxonMobil liderará a construção e operação de instalações de liquefação de gás natural e instalações relacionadas em nome da MRV, e a Eni conduzirá a construção e operação de instalações de upstream.

Categorias: Energia, Energia Offshore, GNL