Total Compra 10% de Participação no LNG Ártico 2

5 março 2019
(Foto: Novatek)
(Foto: Novatek)

A Total concordou em comprar uma participação de 10 por cento no projeto Arctic LNG 2 da russa Novatek, enquanto o grupo francês de energia procura aumentar sua presença na área para atender um mercado asiático em rápido crescimento.

As companhias disseram na terça-feira que a Total também teria a oportunidade de comprar 10 a 15% de participação direta em todos os futuros projetos de GNL da Novatek nas penínsulas de Yamal e Gydan.

Novatek disse que, além de pagar pela participação de 10 por cento, a Total forneceria algum financiamento através de investimento de capital para o Arctic LNG 2, acrescentando que o investimento preliminar esperado para o projeto será de US $ 20-21 bilhões.

"O Arctic LNG 2 se encaixa em nossa estratégia de crescimento de nosso portfólio de GNL por meio de desenvolvimentos competitivos baseados em recursos gigantes de baixo custo destinados principalmente aos mercados asiáticos em rápido crescimento", disse o presidente e diretor executivo da Total, Patrick Pouyanne.

A Total disse que seu interesse econômico geral no novo projeto seria de cerca de 21,6%, levando em conta sua participação de 19,4% na Novatek.

Acrescentou que se a Novatek decidir reduzir sua participação no Arctic 2 LNG abaixo de 60 por cento, a Total terá a oportunidade de aumentar sua participação direta em até 15 por cento.

O projeto Arctic LNG 2 visa desenvolver mais de 7 bilhões de barris de óleo equivalente (boe) de recursos.

Espera-se que tenha uma capacidade de produção de 19,8 milhões de toneladas por ano (Mt / ano), ou 535.000 barris de óleo equivalente por dia (boe / d).

A Total disse que o GNL será entregue aos mercados internacionais por uma frota de transportadores de GNL da classe do gelo usando a Rota do Mar do Norte e um terminal de transbordo em Kamchatka para cargas para a Ásia, e um próximo a Murmansk para cargas européias.

Uma decisão final de investimento para avançar com o projeto deverá ser tomada no segundo semestre de 2019, com planos de iniciar o primeiro trem de liquefação em 2023, disse a Total.


(Reportagem de Sudip Kar-Gupta, Bate Felix e Katya Golubkova; Edição de Mark Potter)

Categorias: GNL