Trabalhadores de petróleo dos EUA deixam o Iraque após ataque aéreo

3 janeiro 2020
© katwijksenieuwe / Adobe Stock
© katwijksenieuwe / Adobe Stock

Dezenas de cidadãos dos EUA que trabalham para empresas petrolíferas estrangeiras na cidade petrolífera de Basra, no sul do Iraque, deixaram o país na sexta-feira, informou o Ministério do Petróleo, depois que um ataque aéreo dos EUA matou um dos principais comandantes iranianos no Iraque.

A embaixada dos EUA em Bagdá pediu a todos os seus cidadãos que deixassem o Iraque imediatamente, horas depois que os EUA mataram o líder da Força Quds iraniana Qassem Soleimani e o comandante da milícia iraquiana Abu Mahdi al-Muhandis.

As autoridades iraquianas disseram que a evacuação não afetaria as operações, produção ou exportação.

Fontes da empresa disseram à Reuters anteriormente que os trabalhadores deveriam voar para fora do país.

A produção de petróleo no Iraque, o segundo maior produtor da Organização dos Países Exportadores de Petróleo, foi de cerca de 4,62 milhões de barris por dia (bpd), de acordo com uma pesquisa da Reuters sobre a produção da OPEP.

Um porta-voz da BP, que opera o gigantesco campo de petróleo de Rumaila, perto de Basra, se recusou a comentar. Rumaila produziu cerca de 1,5 milhão de bpd em abril.

O grupo italiano de energia Eni disse que o campo de petróleo de Zubair, no Iraque, que produziu cerca de 34.000 bpd líquidos para a Eni no ano passado - uma fração da produção total do campo - estava "prosseguindo regularmente". Eni disse que o grupo estava monitorando de perto a situação no Iraque.

A Genel, produtora de petróleo na região autônoma do Curdistão, no norte do Iraque, disse que suas operações continuam normalmente. Não comentou nenhum movimento da equipe.

A Gulf Keystone Petroleum, que também opera no Curdistão, disse que "enquanto esses eventos ocorrem no sul do Iraque, a Gulf Keystone está monitorando de perto a situação e as operações em Shaikan (campo) continuam como de costume".

O DNO não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.


(Reportagem de Aref Mohammed, Shadia Nasralla, Ron Bousso e Dmitry Zhdannikov; edição de Jason Neely, Edmund Blair e Nick Macfie)

Categorias: Médio Oriente