BP vende ativos do Egito para o óleo de dragão

3 junho 2019
Bob Dudley, diretor executivo da BP (Foto: BP)
Bob Dudley, diretor executivo da BP (Foto: BP)

A BP anunciou na segunda-feira que concordou em vender suas participações nas concessões petrolíferas do Golfo de Suez no Egito para a Dragon Oil, com sede em Dubai, como parte do plano da supermajor de vender mais de US $ 10 bilhões em ativos globais nos próximos dois anos.

Sob os termos do acordo, a Dragon Oil, uma subsidiária integral da Emirates National Oil Company (ENOC), comprará concessões de produção e exploração, incluindo a participação da BP na Gulf of Suez Petroleum Company (GUPCO).

O acordo, que está sujeito à aprovação do Ministério de Petróleo e Recursos Minerais do Egito, deve ser concluído durante o segundo semestre de 2019. Detalhes financeiros não foram divulgados.

A venda acontece quando a BP marca as vastas reservas de gás offshore do Egito.

Em dezembro de 2018, a BP adquiriu da Eni uma participação de 25% na área de concessão da Nour North Sinai, na costa do Egito.

Em fevereiro, a BP anunciou o início da produção a partir da segunda etapa do desenvolvimento do Delta do Nilo Ocidental - que inclui cinco campos de gás nos blocos de concessão offshore do Norte de Alexandria e Oeste Mediterrâneo - produzindo nos campos de Giza e Fayoum. A primeira etapa, produzindo a partir dos campos de Taurus e Libra, começou em 2017. A fase final, desenvolvendo o campo de Raven, deve começar a produção no final deste ano.

Quando estiver totalmente a jusante em 2019, a produção combinada do Delta do Nilo Ocidental deverá atingir até 1,4 bilhão de pés cúbicos por dia (bcf / d), o equivalente a cerca de 20% da atual produção de gás do Egito. Todo o gás produzido será alimentado na rede nacional de gás.

O projeto de gás Atoll Phase One, operado pela BP, começou a ser produzido no início de 2018. O campo de gás Zohr, operado pela Eni na qual a BP é parceira, iniciou a produção no final de 2017.

A BP também fez uma série de descobertas no Egito nos últimos anos, incluindo Satis e Qattameya.

Bob Dudley, presidente-executivo da BP, disse: “O Egito é uma região central de crescimento e investimento para a BP. Nos últimos quatro anos, investimos cerca de US $ 12 bilhões no Egito - mais do que em qualquer outro lugar em nosso portfólio - e planejamos mais US $ 3 bilhões em investimentos nos próximos dois anos. Estamos ansiosos para continuar a ampliar nossos negócios aqui, trabalhando em estreita colaboração com o governo do Egito enquanto desenvolvemos os recursos abundantes do país ”.

Hesham Mekawi, presidente regional da BP Norte da África, acrescentou: “Continuamos a trazer novos desenvolvimentos e fornecer suprimentos importantes de gás para o país. Continuamos no caminho de triplicar nossa produção líquida em 2016 do Egito até 2020. À medida que expandimos nossos negócios aqui, também mantemos nossa carteira sob revisão. Acreditamos que a Dragon Oil está bem posicionada para operar esses ativos maduros, fornecendo mais valor para o Egito ”.

Categorias: Energia